LGPD

LGPD: Sua empresa está preparada?

Inspirada em regulamentos como General Data Protection Regulation (GDPR) na União Europeia, e o California Consumer Privacy Act of 2018 nos Estados Unidos da América, a  LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), lei n° 13.709/2018, é a legislação que regula as atividades de tratamento de dados pessoais com o objetivo de garantir a proteção e a privacidade dos dados dos cidadãos.

Dentre as diretrizes da nova legislação estão: o respeito a privacidade, a não violação da intimidade da honra e da imagem, a defesa dos direitos humanos, bem como a liberdade e dignidade das pessoas.

A LGPD abrange dados pessoais (nome completo, CPF,  RG, e-mail, telefone) e dados sensíveis (origem racial ou étnica, concepções religiosas, ideologias políticas, questões de gênero).

A lei foi sancionada em 2018 e está prevista para entrar em vigor em agosto de 2020, entretanto, as empresas já devem se preparar para atender as novas regras.

Veja algumas dicas para estar de acordo com a nova legislação:

Conhecer os dados é o primeiro passo para garantir compliance de informações.

Empresas que coletam dados pessoais e dados sensíveis devem estar cientes das informações que possuem. Nesse caso, fazer um mapeamento dos dados coletados e o local onde são armazenados ajudará a organizar e proteger os registros.

Gestão da Informação como aliada.

O tráfego contínuo de informações pelos diversos setores da empresa, pode se tornar um obstáculo na hora de gerenciar a base. É o momento de analisar quem possui acesso aos dados e com qual finalidade estão sendo utilizados.

Definir um fluxo de trabalho restringe o manuseio indevido oferecendo mais segurança para as operações.

É imprescindível reforçar os padrões de proteção de dados. A criptografia, por exemplo, é capaz de impedir que, em caso de ataques, o atacante leia os arquivos roubados.

Invista em Tecnologia.

A LGDP garante direito aos consumidores que passarão a ter mais autonomia para fiscalizar o tratamento empregado em seus dados, poderão solicitar atualizações e até sua exclusão.

Investir em uma infraestrutura de TI, com sistemas inteligentes, dará maior visibilidade e controle e a automatização dos processos permite que a empresa tenha os registros ao alcance quando solicitado pelo cliente.

A compliance digital é fundamental para a gestão da informação, ter parceiros especialistas em Governança de Dados pode ser um diferencial no processo de adequação às novas regras.